Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Sobre o Centro

Centro Cultural Correios – Recife está localizado na Av. Marquês de Olinda, 262, em área privilegiada do centro antigo da cidade tombada pelo IPHAN e considerada Zona Especial de Proteção Histórica (ZEPH – 09) através da Lei Municipal 16.290/97.

Mais sobre o centro
O prédio é uma construção do início do século passado e foi adquirido pelo então Departamento de Correios e Telégrafos – DCT em 1921 para ser a sede dos Correios em Pernambuco.

Integralmente restaurada, a edificação conta com cinco pavimentos e dispõe de seis salas de exposição, auditório, restaurante (bistrô), sala com peças históricas e uma agência postal.

O edifício é de composição eclética e linguagem arquitetônica influenciada pelo classicismo francês. A obra de restauro representou um investimento de mais de R$ 5 milhões e permitiu a recomposição original do projeto do prédio, com a abertura da clarabóia, da escada e do elevador panorâmico.

O Centro, inaugurado em 31/7/2009, integra o conjunto de pontos turísticos do bairro, um dos principais da capital pernambucana, que já dispõe de atrativos como: a Rua do Bom Jesus, a 1ª Sinagoga das Américas, a Igreja da Madre de Deus, o Paço Alfândega e a Torre Malakoff, além de teatros, livrarias, restaurantes e outros espaços culturais.

Visitação:
Centro Cultural Correios Recife
Av. Marquês de Olinda, 262 – Bairro do Recife
50031-970 - Recife – PE
Telefone: 081 3424 1935
e-mail: centroculturacorreios
recife@correios.com.br


Funcionamento:
O Centro Cultural Correios recebe visitantes de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h.
Entrada franca.


Confira a planta baixa do Centro Cultural Correios de Recife

 

Programação

EXPOSIÇÕES

Exposição “Akáshicos” traz obras que representam a experiência coletiva dos seres humanos conectados em rede, misturando figuras humanas, místicas e míticas
Inaugurada no dia 20.02.2018, no Centro Cultural Correios Recife, a exposição “Akáshicos”, do Artista Plástico Antônio Amorim.

A mostra é a primeira individual do artista, que estreia no segmento de Artes Visuais, após ter acumulado uma quantidade significativa de pinturas, ao longo dos anos.  
Antônio Amorim iniciou empiricamente seus desenhos em 2010 e em pouco tempo passou a pintar em papel cartão. Como se fotografasse holograficamente a Noosfera e acessasse os registros Akáshicos, Amorim expressa em cada trabalho, traços que parecem vir deste campo de energia dos pensamentos e sentimentos humanos, tanto positivos quanto negativos, retratando aspectos da urbanidade. Nas palavras do filósofo francês Theilard de Chardin, em seu livro “Cosmogênese”, Amorim parece fazer um registro da experiência coletiva de todos os seres humanos conectados em rede, apresentando, de forma muito expressiva, figuras que emergem dos universos celestes, terrenos e marítimos, por meio desses seres humanos, não humanos, espíritos, divindades e extraterrenos, residindo nestes elementos a diversidade de mundos e culturas com a qual o artista nos presenteia.  

De naturalidade pernambucana, Antônio Amorim viajou pelo Brasil durante anos, quando esteve trabalhando para várias empresas, o que lhe possibilitou lidar com diversos públicos. Provavelmente dessa interação tenham nascido suas inspiração e inquietação, bem como a necessidade de ampliar o seu universo no mundo das artes, mais tarde explodindo em pinturas. Pois, nas palavras do artista “a iniciativa de promover essa primeira exposição representa a realização de um sonho e o desejo de avançar no caminho das artes plásticas”.
 
A exposição é composta por 25 obras de três tamanhos distintos, utilizando, predominantemente, a técnica de pintura manual, feita sobre papel cartão e papel Craft. Durante o período da mostra serão realizadas oficinas sobre o processo criativo e de produção do artista.

Serviço:
Exposição Akáshicos
Período: de 20.02 a 20.03.2018
Local: Centro Cultural Correios Recife, Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife
Horário de Visitação: de segunda a sexta, das 11:00h às 17:00h
Entrada franca.


Exposição “Fantastic” Retrata a Beleza da Mulher Plus Size

 

Foi inaugurada no dia 03 de fevereiro, no Centro Cultural Correios Recife, a exposição "Fantastic", do Designer e Artista Eduardo Santos (Edull).

Inspirada na beleza das mulheres Plus Size, a exposição surgiu de uma pesquisa feita com mais de 60 mulheres de todo o Brasil, onde o artista se questionou sobre a aceitação do corpo, moda, preconceito, comportamento e outros temas cotidianos. Através de suas obras, Edull provoca o espectador a adquirir um novo olhar para estas mulheres e, através do seu olhar positivo, desafia paradigmas e preconceitos sociais que existem contra as mulheres gordas, para que estas reconheçam sua beleza, se valorizem e se aceitem. O resultado é uma mostra lúdica, onde as mulheres são cheias de poder, magia, fantasia e beleza. Uma junção do mundo imaginário de Edull e da vida real dessas mulheres.

Composta por 16 telas em tinta acrílica e lápis pastel, tamanho 60 x 80 cm, "Fantastic" traz arte, cultura, beleza, proposições, inclusão e reflexões. O movimento Plus Size é, antes de tudo, um processo de inclusão social, que pretende dar voz e força às mulheres que não se "enquadram" nos padrões vigentes da moda há anos, os quais celebram a magreza acima de tudo. Trata-se de um processo que visa combater todas as formas de preconceito e mostrar que as mulheres Plus são iguais a todas as mulheres, devendo ser respeitadas como tal. Procurando despertar a todos para a importância do tema, Edull deixou um painel interativo, no qual o público pode refletir e expressar, em uma única palavra, sentimentos e atitudes para vencer o preconceito.

Durante o vernissage, o público foi presenteado com uma apresentação do Grupo pernambucano "Gesttus Grupo de Dança", que, a convite do artista, trouxe a coreografia "Você consegue nos sentir?", com bailarinas plus size. A coreografia ficou em 3° lugar no "Tanz Festival de Dança 2017". O espetáculo segue a linha de outros grupos, nacionais e internacionais, compostos por dançarinas curvilíneas e gordas que estão quebrando todos os estereótipos de um modelo perfeito, inclusive, para se expressar artisticamente. O artista também aproveitou o momento de inauguração da mostra para sortear uma de suas obras entre os presentes.

Outras atividades ainda ocorrerão. Fiquem atentos!

Serviço:
Exposição "Fantastic"
Período: de 03.02 a 31.03.2018
Visitação: segunda a sexta, das 11h às 17h
Local: Centro Cultural Correios Recife
Endereço: Avenida Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife

 

Mostra de Tiago West traz poesia visual para o CCC Recife

Foi aberta, ontem, 14 de dezembro, no Centro Cultural Correios-Recife, a exposição intitulada “Poema-Viga, Palavra Olho”, do recifense Tiago West. Trata-se da primeira individual do artista, cujo trabalho traduz a antiga e assídua relação com a poesia, aliada a uma investigação, ora técnica, ora intuitiva, sobre expressões visuais a exemplo das artes plásticas, design, arquitetura, etc.

Embalado pelo minimalismo e pela arte concreta, tanto nas escolas e correntes poéticas, quanto em outras plataformas de linguagem, o artista foi ao longo dos anos desenvolvendo um lugar, abstrato ou não, de comunicação. Composta por cerca de 60 peças de arte gráfica impressa, a exposição “Poema-Viga, Palavra Olho”, busca dar visibilidade à produção de Tiago West a partir de suas criações integralmente autorais, como também oferecer ao público uma oportunidade de acessar um acabamento artístico que é, em considerações gerais, embora não inédito, pouco usual. 

O trabalho exposto pelo artista traz um universo criativo, no qual palavra e imagem aparecem como elementos medulares e narrativa como mote central. A intenção da montagem “Poema-Viga, Palavra Olho” é fazer com que o espectador, além de receber passivamente parte mais objetiva da exposição, também interaja, em variante grau, com as obras de caráter interativo, reagindo às suas provocações imagéticas e semânticas.

Serviço:
Exposição: “Poema-Viga, Palavra Olho”, de Tiago West
Onde: Centro Cultural Correios Recife (Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife).
Visitação: de 15 de dezembro de 2017 a 16 de fevereiro de 2018, de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h.
Entrada Gratuita.



Exposição “Retorno” chega ao Centro Cultural Correios Recife

Chega em Recife a exposição “Retorno”, do fotógrafo Mateus Sá. Composta por 40 fotografias impressas em grandes painéis de tecido, a mostra será inaugurada, hoje, 7 de novembro, no Centro Cultural Correios de Recife. Com expografia de Ticiano Arraes e curadoria assinada por Eduardo Queiroga, a mostra permanecerá em cartaz até o dia 7 do próximo mês.  

“Retorno” é um desdobramento de trabalhos anteriores de Mateus Sá e tem o arquipélago de Fernando de Noronha como tema para as fotos. Mas, o visitante não deve esperar por nada parecido com as fotografias de apelo turístico e comercial tão comumente veiculadas por anúncios e reportagens sobre Fernando de Noronha. “O conceito que atravessa a exposição é o do retorno como um novo percurso, no qual se impõe a presença de um contraste incontornável em composições que te tiram de um solo estável”, diz Queiroga.

Para Mateus Sá, a exposição representa “um reencontro, através das imagens, tanto com paisagens de uma ilha que habitam em mim, como com pessoas que conheci há 12 anos atrás. Pessoas com um ritmo próprio. O ritmo de Noronha. Com elas pude compreender um pouco melhor sobre o que é ser um ilhéu."

A exposição “Retorno”, que é aberta ao público, tem incentivo do Funcultura – Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura / Fundarpe / Secretaria de Cultura / Governo do Estado de Pernambuco e apoio do Centro Cultural Correios Recife.

Serviço:
Exposição “Retorno”, de Mateus Sá.
Abertura: 7 de novembro de 2017, às 19h
Local: Centro Cultural Correios Recife (Av. Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife)
Visitação: Até 7 de dezembro de 2017, de segunda a sexta, das 11h às 17h, exceto feriados.
Contato para entrevista:
Mateus Sá (fotógrafo autor): 81 99212-0357
Eduardo Queiroga (curador): 81 98954-6606

 

O que vou buscar no sertão, solidão

 

O que vou buscar no
sertão, solidão
vida árida
vida seca
sem sobras
sem restos; arestas
é a pedra
e permanece viva
vida árida, porém, vida.
(Maria Queiroga) 

O Centro Cultural Correios Recife recebe a primeira exposição individual da Artista Plástica Maria Queiroga, que desenvolve pesquisa com influências estéticas do Movimento Armorial. O movimento surgiu sob a inspiração e direção de Ariano Suassuna, com o objetivo de valorizar a cultura do Nordeste brasileiro, a partir da realização de uma arte erudita baseada nas raízes populares do seu povo.

A obra de Queiroga traz elementos e símbolos icônicos característicos do sertão, como marcas de ferrar gado, o couro, o sagrado e o profano; a poesia de João Cabral de Melo Neto e autores que contribuíram para disseminar tais referências na cultura brasileira. 

A exposição “O que vou buscar no sertão, solidão” é o resultado de um ano e meio de pesquisa e produção da série de trabalhos de mesmo nome, dispondo no seu acervo ilustrações que nos remetem às manifestações populares, através de pintura rupestre, marcas de animais e o acréscimo de poemas de autoria da artista.

Serviço

Exposição: “O que vou buscar no sertão, solidão”
Vernissage: 10 de outubro, às 19:00h
Visitação: de 11.10 a 07.12.2017
Período: das 11:00h às 17:00h
Local: Centro Cultural Correios Recife
Endereço: Avenida Marquês de Olinda, 262, Bairro do Recife

Salvar

Centro Cultural Recife


Visitação:
Centro Cultural Correios Recife
Av. Marquês de Olinda, 262 – Bairro do Recife
50031-970 - Recife – PE
Telefone: 081 3224 5739 / 3424 1935
Fax: 081 3224 5739
e-mail:

Funcionamento:
O Centro Cultural Correios recebe visitantes de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 12h às 18h.
Entrada franca.