Serviços

Sobre o Espaço

O Espaço Cultural Correios (ECC) está localizado no centro comercial de Juiz de Fora, no térreo do prédio sede dos Correios, situado à rua Marechal Deodoro, 470. Este prédio, tombado pelo patrimônio histórico municipal, é de 1935 e conserva em si a história de tempos áureos da Manchester Mineira.    

Mais sobre o centro
A inauguração do ECC ocorreu em 16 de maio de 2007 - mês do aniversário de Juiz de Fora – e se consagrou como um presente para a cidade, que tanto aprecia as artes e a cultura. O espaço integra um circuito de arte, história e cultura, formado por várias instituições, dentre as quais cabe destacar o Museu Mariano Procópio - primeiro museu de Minas Gerais - com um dos maiores acervos do Brasil, e o Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, com a maior coleção de arte moderna do Estado.

O ECC possui área climatizada de 270 m² dedicada à divulgação da cultura e das artes, com infraestrutura e segurança adequadas para receber visitantes. O espaço possui um Acervo Cultural equipado com trainel (sistema deslizante para organizar e acomodar objetos e documentos de museus) para o armazenamento das obras. A programação, no segmento das artes visuais, é bastante diversificada, sendo que cada exposição se estende por 45 dias, em média.

A lateral esquerda externa do prédio que dá acesso à agência central dos Correios em Juiz de Fora e ao Espaço Cultural Correios abriga o Corredor Cultural Renato Stehling, criado pelos Correios com o apoio da Associação de Belas Artes Antônio Parreiras. A parceria, fruto da assinatura de um “termo de uso de bem público” possibilitou que oito artistas plásticos de Juiz de Fora formassem um novo espaço cultural na cidade. Ao atrair os visitantes, os Correios democratizam o conhecimento e as identidades históricas da cidade e do Estado.

Com uma crescente necessidade de locais para exporem suas obras, os artistas viram nos Correios um espaço perfeito que une credibilidade e reconhecimento da sociedade.

Confira a planta baixa do Espaço Cultural Correios de Juiz de Fora
Programação
EXPOSIÇÃO

Mostra no Espaço Cultural Correios Juiz de Fora propõe discutir o que é um segundo original

No mundo contemporâneo, tudo é remix. Mas será mesmo esse misturar de influências uma tendência atual? O que difere um original de uma interpretação?

O tema dá pano pra manga e suscita a exposição “O Segundo Original: influências do pós-impressionismo”, de Venina Sparano, no Espaço Cultural Correios Juiz de Fora, a partir de 23 de agosto.

A artista lança sua releitura pessoal para 16 quadros do final do século XIX. Com grande reverência, desloca a pintura para a arte têxtil. Dentre as telas escolhidas, estão conhecidos quadros de Gauguin, Matisse, Van Gogh, Toulouse-Lautrec.

“Vários dos artistas que recriei tiveram alguma ligação com a arte de tecelagem ou com o mundo dos tecidos”, conta Venina.

Arquiteta com formação pela UFRJ, ela foi por muitos anos figurinista da TV Globo. Há dez anos criou uma técnica única, onde pincel e tinta são substituídos por linha e agulha, fragmentos de panos e bordados feitos à mão. Por vezes vindos de roupas carregadas de memórias, os tecidos recompostos contam histórias que trazem um sentido simbólico ao novo contexto.

Nessa mostra, a artista têxtil explora os pós-impressionistas, como o grupo Nabis – Vuillard, Gauguin, Vallotton - indo até mais adiante com aqueles que beberam da fonte das cores planas, como o Picasso cubista, Diego Rivera e nossa Anita Malfatti.

Em uma das salas, projeções apresentarão filmes do processo de trabalho da artista, bem como sua produção de forma mais ampla.

O Segundo Original

“Conheci o conceito de Segundo Original com Celina Sodré, diretora teatral com quem trabalhei no Rio, e que o articulou em sua tese na Universidade de Londres em 1992”, conta a curadora da mostra, Jeanne Duarte. “Como podemos chamar de cópia, ou arte menor, os filmes de Kurosawa inspirados em Shakespeare?”

Transpor um original e o transformar em outro - um “segundo” original - não é tarefa fácil. A essência da interpretação deve obrigatoriamente, dialogar com a obra primeira, assim como lançar um novo olhar para esta.

Para a curadora, o trabalho de Venina é uma tradução visual do mundo contemporâneo. “Um encontro entre a arte do passado e a de hoje. Uma obra aberta, remixada, constituída de fragmentos, memórias, ideias - e de tecidos”.

Sobre os pós-impressionistas

A utilização das cores vivas e uma visão subjetiva do mundo estão entre as características marcantes do movimento em cuja base estão Cézanne, Van Gogh e Gauguin.

Os pós-impressionistas (entre 1880 e 1890) exploraram as possibilidades abertas pelo impressionismo. A noção foi cunhada por um crítico britânico, Roger Fry, que realizou três exposições com artistas do período.

Longe de ser um movimento homogêneo, eles se expressam por meio de uma pintura de grandes manchas de cores, sem preocupação naturalista, e apelam preferencialmente à mente e à consciência, e não à visão.

Serviço

O Segundo Original: influências do pós-impressionismo
Vernissage: 22 de agosto, terça-feira, 19h.
Aberto para o público a partir do dia 23 de agosto. Até 21 de setembro.
Espaço Cultural Correios Juiz de Fora
Rua Marechal Deodoro, 470, térreo, Centro – Juiz de Fora - MG
Segunda a sexta, de 10h às 18h e, aos sábados, de 10h às 14h
Entrada Franca. Telefone: (32) 3690-5715 

Espaço Cultural Juiz de Fora




Visitação
:
O Espaço Cultural Correios recebe seus visitantes de segunda a sexta, de 10h às 18h e, aos sábados, de 10h às 14h. A entrada é gratuita.

Local: Rua Marechal Deodoro, 470, térreo - Centro - Juiz de Fora/MG - Cep: 36002-900

Contatos: (32) 3690-5715 / 3211-9660